5 livros essenciais sobre expografia

Quando comecei a estudar expografia no Brasil, a bibliografia em português era muito rara sobre o tema e mesmo os estudos acadêmicos eram poucos. Hoje o tema ganhou importância e muitos livros foram publicados em português. Cito aqui os 5 que me marcaram e ajudam muito a iniciar e se aprofundar no tema.

 

Cenário da Arquitetura da Arte: Montagens e Espaços de Exposições por Sonia Salcedo del Castillo

Acredito que mesmo que eu leia esse livro 10 vezes ainda me surpreenderei com as novas compreensões sobre expografia que ele suscita. Extremamente interessante e rico, ele traça um panorama histórico e crítico das exposições de arte desde os salões parisienses até a sociedade do espetáculo.

Se eu tivesse que escolher um livro para começar a estudar expografia, certamente seria este.

 

Algumas exposições exemplares: As salas de exposição na São Paulo de 1905 a 1930 por Rejane Cintrão

Livro que achei garimpando textos sobre história das exposições no Brasil. Um interessante levantamento sobre as exposições que ocorriam em São Paulo – cerca de 20 por ano, segundo o levantamento – antes do surgimento do MAM e do MASP?

O livro está repleto de descrições e descobertas que situam historicamente as exposições e as características expográficas. Vale a pena.

 

Maneiras de Expor por Lina Bo Bardi e MCB

Registro importantíssimo das arquiteturas expositivas de Lina Bo Bardi, esse apaixonante livro só pode ser comprado usado, dado que está esgotado.

Através dos textos de Giancarlo Latorraca, Chico Homem de Melo, Renato Anelli e Zeuler Rocha Lima percorremos as exposições e a forma de pensar e criar exposições da arquiteta e percebemos o grande impacto que ela causou também na expografia.

  

Arquitetura de exposições: Lina Bo Bardi e Gisela Magalhães por César Augusto Sartorelli e Danilo Santos de Miranda

 Neste livro os autores fazem um rico registro e análise das exposições brasileiras de duas magnificas arquitetas: Lina Bo Bardi e Gisela Magalhães.

Inicia com a contextualização histórica da arquitetura expositiva no mundo e parte para entender as lógicas da exposição e o entendimento das diversas formas e aparatos para construir o espaço.

Analisa então a construção dos espaços expositivos das duas arquitetas, com um rico levantamento de material que nos permite compreender como eram construídos esses espaços e, em alguns casos, como foi a fruição dos visitantes na época.

Recomendo a versão impressa, pela riqueza das imagens que não podem ser tão bem vizualidadas na versão para kindle.

 

 Charles and Ray Eames por Pat Kirkham

Em um primeiro momento, associar o conhecido casal de designers à expografia pode parecer estranho. Mas eles foram produtores de um rico e variado conteúdo, como analisado por Robert Venturi.

O casal foi precursor em alguns conceitos expositivos como a diversão, o excesso de conteúdo e criadores de um ícone dos espaços expositivos: a linha do tempo.

O livro apresenta um capítulo inteiro sobre as exposições do casal, contextualizando historicamente e relacionando com a expografia do mundo, especialmente a Bauhaus.

 

Por fim, escrever esse artigo, me trouxe de volta o prazer de consultar a biblioteca sobre um tema tão delicioso que são as exposições e poder ler e reler livros tão interessantes que, a cada leitura, são capazes de despertar novos insights.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *